Topo

Histórico

Categorias

Como a inteligência artificial já está turbinando a segurança no Brasil

Renato de Castro

15/07/2019 04h00

A polêmica tecnologia de reconhecimento facial na segurança pública. Foto: startologic

Já imaginou se fosse possível chamar uma viatura de polícia simplesmente apertando um botão no celular como fazemos com o Uber? Ou se pudéssemos engajar a população para apoiar o poder público na resolução dos problemas de segurança das nossas cidades? Foi exatamente com estas duas questões que Alex Berenguer, CEO da CITZs, iniciou sua apresentação no painel que discutiu a nova era dos aplicativos municipais.

 No nosso vídeo de hoje, iremos assistir ao pitch de uma startup brasileira que oferece uma solução para mitigar os problemas de segurança pública com o uso de inteligência artificial.

Com um projeto piloto na cidade de São Paulo, a iniciativa conta com quatro soluções integradas: uma central de atendimento, um aplicativo para o cidadão, um para a patrulha e outro para mulheres que estão sob a proteção da Lei Maria da Penha, tudo funcionando em tempo real. Por trás da tecnologia, existem algoritmos avançados que são capazes, inclusive, de diferenciar uma chamada real de um trote.

Estamos realmente avançando de forma rápida para uma realidade de cidades superconectadas com câmeras de reconhecimento facial monitorando a todos continuadamente e cidadãos ávidos para colaborar com o governo. Tudo isso parece superpositivo, mas estamos prontos para toda essa tecnologia? Na semana passada, no Rio de Janeiro, por exemplo, o sistema implantado pela polícia em Copacabana confundiu uma moradora do bairro com uma foragida. E não foi a primeira vez que isso aconteceu.

O que você acha disso tudo? Estamos evoluindo para a direção correta ou esse grande Big Brother urbano criará ainda mais caos e confusão? Qual a sua opinião? Nos vemos na próxima semana.

Sobre o autor

Renato de Castro é expert em Cidades Inteligentes. É embaixador de Smart Cities do TM Fórum de Londres, membro do conselho de administração da ONG Leading Cities de Boston e Volunteer Senior Adviser da ITU, International Telecommunications Union, agência de Telecomunicações das Nações Unidas. Acumulou mais de duas décadas de experiência atuando como executivo global em países da Ásia, Américas e Europa. Fluente em 4 idiomas, é doutorando em direito internacional pela UAB - Universidade Autônoma de Barcelona. Renato já esteve em mais de 30 países, dando palestras sobre cidades inteligentes e colaborando com projetos urbanos. Atualmente, reside em Barcelona onde atua como CEO de uma spinoff de tecnologia para Smart Cities.

Sobre o blog

Mobilidade compartilhada, Inteligência artificial, sensores humanos, internet das coisas, bluetooth mesh etc. Mas como essa tranqueira toda pode melhorar a vida da gente nas cidades? Em nosso blog vamos discutir sobre as últimas tendências mundiais em soluções urbanas que estão fazendo nossas cidades mais inteligentes.

Cidades Mais Inteligentes