Topo

Histórico

Categorias

De Volta Para o Passado: cadê “meu” patinete que estava aqui?

Renato de Castro

05/08/2019 04h00

O famoso e inesquecível skate voador do Michael J. Fox, um sonho de consumo de muitos da geração X.

As bicicletas compartilhadas e os patinetes elétricos estão invadindo nossas cidades. Parece que chegou a hora de levar essa discussão ao nível de regulamentação. Posso usar meu patinete elétrico nas calçadas? Tenho que usar capacete? De quem é a preferência nas ruas?

Esta semana, tive o grande prazer de assistir (de novo) um dos grandes clássicos do final dos anos 80: De Volta para o Futuro 2. Se no primeiro filme da trilogia eu já tinha ficado encantado com o DeLorean, um supercarro que acabou virando referência de futuro na época, foi no segundo que eu comecei a sonhar com a mobilidade individual do futuro: um skate voador. 

Se me lembro bem, naquela época o cinto de segurança nos carros tinha uma função mais decorativa do que realmente de segurança. Imaginem, então, pensar em usar capacete para "pilotar" aquele skate bacana? Impossível pensar nisso, né?

Trinta anos depois, ainda não temos o skate voador – pelo menos para comprar nas lojas – mas o conceito da micromobilidade, ou mobilidade individual, já é uma realidade. As bicicletas compartilhadas e os patinetes elétricos estão invadindo nossas cidades, proporcionando uma nova experiência na mobilidade urbana e facilitando a vida dos cidadãos nos deslocamentos de curta distância.

Além do boom de novas startups que oferecem soluções disruptivas, cidades ao redor do mundo, como Barcelona, investem anualmente cifras significativas do orçamento público em programas de micromobilidade, incluindo bicicletas compartilhadas. Várias cidades pelo Brasil também estão caminhando rapidamente nesse sentido e parece que chegou a hora de levar essa discussão ao nível de regulamentação.     

Posso usar meu patinete elétrico nas calçadas? Tenho que usar capacete? De quem é a preferência nas ruas? Esses são alguns dos questionamentos que vamos discutir no vídeo de hoje. Para finalizar nossa maratona de temas da última edição do Smart City Day, eu resolvi trazer esse tema superpolêmico.

O painel que fechou o evento, "Micromobilidade, Bikes e Patinetes Regulação, Desafios e Perspectivas da Disrupção na Mobilidade Urbana", teve como convidada especial a Juliana Minorello, gerente de relações governamentais da startup Tembici e coordenadora do Comitê de Mobilidade Online da Associação Brasileira Online to Offline (ABO2O). O ponto forte do painel foi a discussão sobre a regulamentação do setor.

A micromobilidade já faz parte da sua vida? Você trocaria seu DeLorean por um patinete elétrico?  Eu sim ;). Deixe sua opinião aqui embaixo. Nos vemos no próximo texto.

 

Sobre o autor

Renato de Castro é expert em Cidades Inteligentes. É embaixador de Smart Cities do TM Fórum de Londres, membro do conselho de administração da ONG Leading Cities de Boston e Volunteer Senior Adviser da ITU, International Telecommunications Union, agência de Telecomunicações das Nações Unidas. Acumulou mais de duas décadas de experiência atuando como executivo global em países da Ásia, Américas e Europa. Fluente em 4 idiomas, é doutorando em direito internacional pela UAB - Universidade Autônoma de Barcelona. Renato já esteve em mais de 30 países, dando palestras sobre cidades inteligentes e colaborando com projetos urbanos. Atualmente, reside em Barcelona onde atua como CEO de uma spinoff de tecnologia para Smart Cities.

Sobre o blog

Mobilidade compartilhada, Inteligência artificial, sensores humanos, internet das coisas, bluetooth mesh etc. Mas como essa tranqueira toda pode melhorar a vida da gente nas cidades? Em nosso blog vamos discutir sobre as últimas tendências mundiais em soluções urbanas que estão fazendo nossas cidades mais inteligentes.

Cidades Mais Inteligentes