PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Como a tecnologia virou política pública de resiliência de cidades do país

Renato de Castro

12/06/2020 04h00

Em tempos pré-covid-19, governos de todo o mundo competiam por uma série de prêmios em reconhecimento ao grau de inovação e emprego de tecnologias avançadas em seus projetos e políticas públicas. Era a batalha das smart cities (ou cidades inteligentes, como decidiu-se adotar no Brasil).

Com servidores públicos trabalhando remotamente, a resiliência e os cuidados com a segurança cibernética assumiram outro patamar – não mais como "luxo", mas artigos de primeira necessidade.

Assim, cidades que flertavam de modo tímido com o movimento da Quarta Revolução Industrial foram obrigadas, do dia para a noite, a celebrar matrimônio compulsório – sem festa. Cidades em todo mundo, agarraram-se agora na tecnologia como meio de sobrevivência e não somente como uma estratégia de "inteligência", mas principalmente como política pública de resiliência.

Essa transformação digital já estava acontecendo muito antes desta nova pandemia. A tecnologia já vinha empoderando os cidadãos e aumentando significativamente o protagonismo das nossas cidades, mas a verdadeira disrupção agora não é a tecnologia em si, mas sim a velocidade das mudanças.

O blogueiro do Tilt Renato de Castro conversou sobre o tema "O novo normal das cidades" com o professor e advogado Vitor Antunes, que atualmente assessora o município de Salvador em seu plano de smart city, Cláudio Maltez, diretor presidente da Cogel – Companhia de Governança Eletrônica de Salvador, e com Claudio Ricardo Gomes de Lima, presidente da Fundação Citinova – Fundação de Ciências, Tecnologia e Inovação de Fortaleza e ex-reitor do Instituto Federal do Ceará.

Esse "novo normal" após a pandemia certamente provocará uma reflexão quanto ao que é, de fato, "smart" – tecnicamente entendido como algo além das expectativas médias de um cidadão – e aquilo que os tempos de pandemia estão nos revelando como verdadeiras necessidades de um ecossistema urbano minimamente resiliente.

Confira abaixo o vídeo completo da entrevista:

Sobre o autor

Renato de Castro é expert em Cidades Inteligentes. É embaixador de Smart Cities do TM Fórum de Londres, membro do conselho de administração da ONG Leading Cities de Boston e Volunteer Senior Adviser da ITU, International Telecommunications Union, agência de Telecomunicações das Nações Unidas. Acumulou mais de duas décadas de experiência atuando como executivo global em países da Ásia, Américas e Europa. Fluente em 4 idiomas, é doutorando em direito internacional pela UAB - Universidade Autônoma de Barcelona. Renato já esteve em mais de 30 países, dando palestras sobre cidades inteligentes e colaborando com projetos urbanos. Atualmente, reside em Barcelona onde atua como CEO de uma spinoff de tecnologia para Smart Cities.

Sobre o blog

Mobilidade compartilhada, Inteligência artificial, sensores humanos, internet das coisas, bluetooth mesh etc. Mas como essa tranqueira toda pode melhorar a vida da gente nas cidades? Em nosso blog vamos discutir sobre as últimas tendências mundiais em soluções urbanas que estão fazendo nossas cidades mais inteligentes.